Setembro Verde – A cor para conscientizar sobre Doação de Órgãos

Durante todo mês, ações se multiplicam para abordar o tema da doação e do transplante de órgãos, com números crescentes no Paraná e no Brasil

Nos meses de muitas cores, o setembro ganha tons esverdeados numa bandeira mais que brasileira: a campanha  sobre doação de órgãos é uma luta mundial! Nas terras verdes e amarelas, ganhou um dia para marcar na agenda: 27 de setembro, Dia Nacional de Doação de Órgãos, de acordo com o calendário do Ministério da Saúde. E no mês todo, muitas ações para quebrar tabus, informar e conscientizar. Os resultados chegam em números.

“O Brasil é referência mundial na área de transplantes e possui o maior sistema público do mundo”, ressalta o site do Ministério, que reforça”: “Atualmente, cerca de 96% dos procedimentos de todo o País são financiados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em números absolutos, o Brasil é o 2º maior transplantador do mundo, atrás apenas dos EUA. Os pacientes recebem assistência integral e gratuita, incluindo exames preparatórios, cirurgia, acompanhamento e medicamentos pós-transplante, pela rede pública de saúde.”

O Paraná multiplicou por cinco o número de doações em dez anos (2008 – 2018), mas o desafio ainda é grande.  44% das doações são efetivadas com o transplante e as negativas das famílias ainda representam quase um terço (27%), do total  de possíveis doadores. Para ajudar a mudar essa estatística, uma das iniciativas partiu de Adriana Pontin, diretora executiva da Excelência Mkt & Eventos a partir de 2013, à pedido da OPO Organização de Procura de Órgãos de Londrina.

“Juntos com a OPO, fizemos uma exposição de fotos, “Doar Faz Bem ao Coração”,  e reunimos pacientes que estavam na fila de espera e receberam o transplante, e familiares que autorizaram a doação”, lembra. A abertura foi no Shopping Catuaí, em setembro daquele ano, alusiva à campanha Setembro Verde, com fotos assinadas por Kely Sciena. “De lá para cá, não paramos mais!” Adriana ainda realiza diversas ações entre palestras, rodas de conversas, caminhadas e corridas, desfiles, seminários, tudo em prol da conscientização sobre a importância de autorizar e manifestar em vida a vontade de ser um doador de órgãos e tecidos.

Fale sobre isso – Converse com sua família e deixe-os cientes do seu desejo de ser um doador de órgãos e tecidos. A autorização só pode ser feita pela sua família, por isso é tão importante que você converse com seus familiares! Doação de órgãos é salvar vidas!

Você doa sangue? Hoje é dia mundial do doador!

14 de junho é a data escolhida no mundo para celebrar esse ato solidário do doador de sangue regular, que também traduz responsabilidade social e generosidade para com o próximo

O apelo é frequente. O ano todo precisa-se de mais e mais sangue doado. Afinal, nada substitui o sangue humano em caso de necessidade. E a necessidade tende a sempre crescer. A transfusão torna-se a diferença entre a vida e a morte em casos de acidentes, cirurgias, doenças. Mas anualmente, menos de 2% da população brasileira se dispõem a doar sangue.

O Hemocentro de Londrina enfrenta períodos em que a doação cai, enquanto a demanda só aumenta. O diretor do Hemocentro, Dr. Fausto Trigo, lembra que em 2019, o número de bolsas de sangue doadas chegou a 1300 por mês, “mas para atender dois complexos hospitalares importantes, que são a Santa Casa e o Hospital Evangélico de Londrina, precisamos de 800 bolsas mensais a mais.”

O mês de junho intensifica o chamado para sensibilizar novos doadores. Em Londrina, foi escolhido para a Campanha Municipal de Conscientização. E de maneira universal, celebra-se neste mês o Dia Mundial do Doador de Sangue, em 14 de junho. A corrente para incentivar a doação também é uma forma de agradecer quem já realiza o ato com regularidade.

A empreendedora Adriana Pontin, estrategista da Excelência Mkt & Eventos é a idealizadora do Projeto Gotas de Vida, uma exposição fotográfica, que também reúne vídeos e relatos dos dois elos dessa história, doadores e receptores e o final feliz de vidas renovadas. Adriana ressalta que “doar sangue é um uma expressão de solidariedade, generosidade e responsabilidade social sim, mas também significa informação e conscientização”.

Doar sangue não prejudica em nada, ao contrário. Só causa o bem. Se você tem entre 16 e 69 anos, pesa 50 kg ou mais e está em boas condições de saúde, é só decidir pela doação, que pode ser feita até quatro vezes por ano, com intervalo de 60 dias entre cada uma. Se você você já é um doador regular, parabéns! Hoje é seu dia!

Para fazer sua doação nesse período de pandemia do Covid-19, acesse o site e agende seu horário: www.saude.pr.gov.br/doacao

Dia de Conscientização do Autismo: o momento de refletir sobre conquistas e preconceitos

Data sancionada no Brasil no ano passado dá luz a uma doença ainda cercada de desconhecimento, desinformação e preconceito.

A nebulosidade ainda paira sobre o conhecimento pleno em torno do autismo. Sabe-se que é uma síndrome que afeta vários aspectos da comunicação e acomete uma a cada 110 pessoas no mundo, e no Brasil atinge 2 milhões de pacientes. Apesar da expressividade, o diagnóstico ainda é impreciso, o tratamento não é padronizado, e as causas, ainda um desafio para a ciência. Por isso, um dia dedicado ao problema dá luz, informa, reduz preconceitos,  e ao mesmo tempo atrai interesses para aumentar os esclarecimentos a respeito. E a cor vira azul.

O azul foi definido como o símbolo do autismo, porque o transtorno acomete mais meninos que meninas. De acordo com o Portal do médico Drauzio Varella, “autismo é um transtorno global do desenvolvimento marcado por três características fundamentais: inabilidade para interagir socialmente; dificuldade no domínio da linguagem para comunicar-se ou lidar com jogos simbólicos; padrão de comportamento restritivo e repetitivo.” O tratamento é feito por uma equipe multidisciplinar, avaliando caso a caso. Familiares que convivem com autistas também precisam de acompanhamento, pois em graus de comprometimento maiores, é preciso equilíbrio e orientações especializadas.

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo, celebrado dia 02 de abril, foi criado em dezembro de 2007 pela Organização das Nações Unidas (ONU), com o objetivo de disseminar informações sobre o transtorno. No Brasil, o Dia Nacional de Conscientização sobre o Autismo, foi sancionado apenas em 2018, e desde então, a causa tem ganhado mais visibilidade, mais conquistas de direitos, auxiliando em planos de saúde, escolas e na vida cotidiana.

A data também pretende ter o poder de, aos poucos, eliminar o preconceito ainda persistente. Mesmo se tratando de uma deficiência, o autista, muitas vezes não tem o mesmo olhar da sociedade, o mesmo acesso e locomoção que um cadeirante, por exemplo, pelo fato de andar sem dificuldade, e em alguns casos, ter facilidade em áreas do conhecimento em grau de genialidade. Por isso, é importante lembrar  que o Dia de Conscientização é uma forma  de expor lutas e vitórias. O autista está protegido pela Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, de 2015, e que estabelece inclusive sanções para casos de discriminação. Uma forma de tentar tornar o azul, como um céu sem nuvens…

Dia Mundial da Água

O uso racional e a preservação da água são fundamentais para garantir qualidade de vida para a nossa geração e para as futuras. Faça uso consciente da água!

No dia 22 de março de 1992, a ONU, além de instituir o Dia Mundial da Água, divulgou a Declaração Universal dos Direitos da Água, que é ordenada em dez artigos:

  • Art. 1º: A água faz parte do patrimônio do planeta.
  • Art. 2º: A água é a seiva do nosso planeta, ou seja, é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano.
  • Art. 3º: Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados.
  • Art. 4º: O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos.
  • Art. 5º: A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores.
  • Art. 6º: A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.
  • Art. 7º: A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada.
  • Art. 8º: A utilização da água implica no respeito à lei.
  • Art. 9º: A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.
  • Art. 10º: O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.
Fonte: Wikipédia